Compartilhe nas redes sociais

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Campanha Salarial: Uma falha antiga que precisa ser corrigida!!!

Olá colegas em especial de Salvador. Diante da frustrada das últimas Campanhas Salariais, resolvi postar um retrospecto das três últimas campanhas e identificar onde foram as falhas.
Para o nosso maior entendimento e reflexo para que não cometemos novamente esse ano que é tão delicado por causa do nosso Piso Salarial.


Ano de 2010:

Foi um ano de muita mudança para os Agentes de Saúde. Os recém contratados Agentes de Combate às Endemias quase em cima de uma Campanha Salarial ficou o grande dilema: Em estágio probatório poderia participar de greve?
Depois de muitas discussões foi comprovado que não era ilegal o servidor em estágio probatório iria poder participar da greve.

Iniciamos uma greve dia 19 de outubro do ano citado, pela luta da transmutação, mas sendo que ainda recebíamos cerca de R$ 510,00 e era equiparado ao Salário Mínimo. E essa greve se daria por Reajuste Salarial e a nossa transmutação.

Resultado: 

Saímos da greve dia 28/10/10 A Transmutação não aconteceu, não recebemos o reajuste e recebemos um ABONO SALARIAL de R$ 1.200,00 em 2x sendo R$ 600,00 em Setembro e R$ 600,00 em Outubro desse referido ano.

Ano de 2011:

Com o salário mínimo vigente no país já em R$ 545,00, e nós Agentes e Saúde recebendo menos que um salário mínimo com o Salário base de R$ 510,00, fomos a briga em busca de melhores condições de trabalho e pela briga pela mudança de regime. Entramos em greve dia 08 de junho, esta que durou 60 dias, saímos perdendo com o abono de 600,00 dividido por 6 vezes, mas também finalmente saimos vitoriosos, que depois de muita luta saímos estatutários em dezembro. Mas como tudo para nós nada é fácil, infelizmente não tivemos o reajuste salarial e nossas gratificações ficaram congeladas por 01 ano, e uma lei que nos trava de qualquer crescimento e que desrespeitou os convalidados, porque o seu tempo de serviço não fora computado para o então PCCV da Saúde.

Ano de 2012:

Com o salário mínimo vigente com 622,00, o salário do agente de Saúde continuava abaixo do mínimo, era R$ 545,00, que após greves desgastantes e os recorrentes conflitos, desentendimentos entre a AACES, SINDSEPS e SINDACS, quem saiu perdendo foi o AGENTE que teve de reajuste R$ 580,43 e continuamos com o salário abaixo do valor mínimo vigente no país.

Ano de 2013:

Com o salário mínimo vigente em 678,00, e o salário base dos agentes em R$ 580,43
, com o tal slogan, NÃO SOMOS MÁQUINAS, e o presidente da AACES juntamente com o SINDSEPS, prometeu em uma assembleia que os Acs e Ace só iriam voltar da greve se a proposta da prefeitura fosse de R$ 950,00 (repasse ministerial da época).
Mas, novamente a incompetência tomou conta das mesas de negociação. As entidades sindicais tentaram de todo jeito a querer enfiar na nossa cabeça que a proposta nefasta da prefeitura de abrirmos mão da nossa gratificação SUS, era a melhor forma, mas o nosso blog mostrou em seu post "Entendam em miúdos a proposta nefasta da SEMGE" que abriu os olhos dos colegas e disseram um grande NÃO as entidades sindicais e a associação que estavam querendo colocar na nossa cabeça que essa era a melhor opção. Terminamos com reajuste de 2% mais 6,59% somente em novembro, mas que de pouco adiantou, já que a inflação do período corroeu esse "reajuste".

Ano de 2014:

Com o salário mínimo vigente em R$ 714,00 o salário base dos Agentes de Saúde estão em R$ 633,00.
Foi o pior ano dos Agentes de Saúde, onde este tiveram um reajuste de R$ 3,63%, e o pior de tudo: A associação posta no seu blog que os agentes tiveram um aumento de 107,5%, para enganar os Agentes, mas o nosso blog desmascara a mentira com a postagem: "Fim da greve, saiba os valores a partir de agora" e mostra aos Agentes o verdadeiro "reajuste" de 3,63%, abaixo da inflação da época que foi de 5,51%.
E o pior de TUDO: A AACES "invadiu" a assembleia do SINDACS no Campo Grande, com o carro de som. Ficou dois carros de som na assembleia, onde as entidades trocaram farpas e bateram boca no meio da Av. Sete. Uma cena deplorável.

E amargamos o pior salário do Município de Salvador.

Se não teve competência para garantir maiores reajustes, pelo menos tinham que ter a decência de falar a verdade e não tentar nos enganar.

Essa mesma associação mentiu que tinha reuniões com o SECRETÁRIO da SEMGE, só que quando mais de 200 agentes fizeram a manifestação na SEMGE e este foi questionado, ele afirmou que não tinha nenhuma reunião.

Vimos colegas que nossas campanhas salariais foram diversas teias de mentiras e enganações. Mudou o nome das agremiações mas as mesmas pessoas que fizeram todas essas besteiras, são as mesmas que estão aí hoje.

Vamos nos alertar e ficar atentos porque tudo que foi exposto acima são fatos concretos que sofremos na pele até hoje.

Ano de 2015:

Já começaram com o pé errado! A AACES e SINDSEPS chamando assembleias e paralisações em épocas inadequadas, pela simples razão da gestão não atenderam os seus pedidos. Em uma dessas paralisações, pediu para que ampliasse o número de vagas para que os agentes trabalhem no carnaval, mas o que parece foi que aumentou foram as cotas das entidades que puxaram as paralisações: já que um dos seus diretores foi flagrado trabalhando pela VISA, onde a foto circulou nas redes sociais.

O SINDACS está na mesa de negociação em Brasília, mas falta um posicionamento mais firme perante o MS, para que o mesmo pare de enrolar para que seja feito o repasse para os ACE.

Nesse ano de 2015, o foco é o piso! Nosso blog está de olho para que qualquer ação parecida com as que aconteceram atualmente será denunciada e aberta para o melhor entendimento dos Agentes de Saúde.

JÁ BASTA DE SERMOS ENGANADOS!!!

"A vida nos mostra à verdadeira face e o caráter das pessoas, mas pra ver isso precisa abrir os olhos da mente." 
Willian Robson Silva
Compartilhe: