Compartilhe nas redes sociais

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Após denúncias, ACM Neto articula afastamento do secretário Alexandre Paupério

Em meio às denúncias de participação em esquema que teria desviado quase R$ 40 milhões da Educação de Salvador e de ter atuado como lobista para beneficiar empresa do pai com contrato de R$ 2 milhões, o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), tomou a decisão de afastar o secretário municipal de Gestão, Alexandre Paupério.
O chefe do Palácio Thomé de Souza se reúne com o ainda titular da pasta na tarde desta sexta (11), no Hotel São Salvador, no bairro do Costa Azul. Oficialmente, o encontro foi marcado para discutir um planejamento estratégico da administração, porém, extraoficialmente, as denúncias que pairam sobre mandatário do setor de gestão deve ser uma das principais pautas da reunião.

De acordo com fontes ligadas ao Bocão News, com vez e voz na administração soteropolitana, a decisão já foi tomada pelo prefeito. O gestor já estaria preparando o terreno para o afastamento e a decisão deve ser anunciada oficialmente nos próximos dias. Fato tido como certo nos bastidores da política local.

A tendência é de que o subsecretário municipal de Gestão, Phedro Pimentel, assuma interinamente uma das pastas mais importantes do rol das pastas do chefe do Executivo local.

Em contato com o Bocão News, a Agecom afirma que "ainda não há nenhuma novidade" e que vale o que prefeito ACM Neto afirmou na manhã desta sexta-feira, quando considerou "prematura" a saída de Paupério da Secretaria de Gestão.

Denúncias

De acordo com a investigação do Ministério Público da Bahia, o pai e a madrasta de Paupério, foram diretamente beneficiados no suposto esquema de desvio de recursos pública movida pelo MP, Antônio Carlos Paupério e Rosineide Socorro Agatão Paupério, foram beneficiados com contratos irregulares no valor de R$ 2.271,719,88.  Segundo o MP, o desvio chega proximo aos R$ 40 milhões.

Como o Bocão News antecipou ontem, as empesas de Alexandre Paupério foram constituídas em datas muito próximas aos convênios firmados entra a Fundação Escola de Administração (FEA) e com a Secult. Segundo o MP, as três empresas em que Paupério aparece como sócio estão “inativas e em processo de extinção”.
Fonte: Bocão News

Minha humilde opinião:

Acredito que se Paupério ficasse com os tais R$ 40 milhões, ele não estaria perdendo o tempo dele em Salvador. 
Claro que 95% desse dinheiro foi para financiar a campanha de certo candidato a prefeito, mas agora ele vai sobrar como bode expiatório.

PAUPÉRIO, ABRE O JOGO! DELAÇÃO PREMIADA JÁ!!!

"Tolo é aquele que se acha superior, mal sabe ele que quanto mais alto ele vai maior será a queda."

Gabriel Bruno Matias Pontes
Compartilhe: