Compartilhe nas redes sociais

domingo, 20 de novembro de 2016

Dia 20 de novembro: Dia da Nacional Consciência Negra. Mas porque não ter o dia da Consciência Humana? Nosso Blog explica!


Olá colegas, hoje comemoramos o dia Nacional da Consciência Negra, onde a Escola nos ensinam superficialmente que é dia de comemoração em homenagem ao Zumbi dos Palmares, que nasceu nesse dia. Mas não é somente isso. Clique e entenda.
Dia da Consciência Negra, significado:

O Dia da Consciência Negra é comemorado no Brasil, no dia 20 de novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares e simbolizou a luta do negro contra a escravidão que sofriam os brasileiros de raça negra. Zumbi morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo.

A data foi incluída em 2003 no calendário escolar nacional. Contudo, somente a Lei 12.519 de 2011 instituiu oficialmente o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra.

A data virou feriado no Brasil, embora não seja adotado em todos os locais – é feriado em  1.047 municípios brasileiros.

No entanto, o Dia da Consciência Negra  não celebra simplesmente a consciência afro-brasileira, que comemora 45 anos neste ano, mas relembra o aniversário da morte de Zumbi dos Palmares, líder da República dos Palmares – também conhecida como Quilombo dos Palmares – no dia 20 de novembro de 1695.
No dia da Consciência Negra o objetivo é fazer uma reflexão sobre o relevo da cultura e do povo africano e o impacto que tiveram na evolução da cultura brasileira. Sociologia, política, religião e gastronomia entre várias outras áreas, foram profundamente influenciadas pelas culturas negra e africanas. É dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira.

Não é somente isso que se trata do dia da Consciência Negra.

Agora vou sair da história minimalista dos livros e ir para a verdadeira importância do nosso dia, mas antes de chegar ao presente, quero falar um pouco do passado.

No Brasil, quando o fim da escravatura foi forçada pelo poderio econômico da Inglaterra, devido à revolução industrial, o país simplesmente abandonou os negros e começou o processo de "embranquecimento" do País, contratando mão de obra de outros países principalmente da Europa e abandonou os ex-escravos à sua própria sorte.
Quase em toda sua totalidade, os negros só sabiam lidar com a terra e não possuía nenhum tipo de estudo e nem muito menos o direito de ingressar em uma escola, isso os forçou em se agrupar nos guetos, favelas e consequentemente muitos sem opção acabou sucumbido à criminalidade.

E essa herança maldita do governo brasileiro contra a população negra, persistiu até os tempos atuais, trazendo sérios prejuízos.

Os negros em números:

Nos dias atuais, segundo o IBGE, os negros (pretos e pardos) eram a maioria da população brasileira em 2014, representando 53,6% da população.

Na parcela do 1% mais ricos, 79% eram brancos, em 2014. Em 2004, havia 12,4% de negros e 85,7% de brancos nesse grupo.

Em 2004, 73,2% dos mais pobres eram negros, patamar que aumentou para 76% em 2014. Esse número indica que três em cada quatro pessoas que estão na parcela dos 10% mais pobres do país são negras.

Mais de 60% dos presos no Brasil são negros.

Mas porque dia da Consciência Negra e não da Consciência Humana?

Muitas pessoas alegam que o dia da Consciência Negra fere o princípio da igualdade da Constituição, porque segundo a mesma, no seu art. 5° diz que "todos são iguais perante a lei.".

Mas o que muitos não sabem é que no direito existem dois tipos de igualdade: Igualdade Material e Igualdade Formal. E o que é isso?

Igualdade Material é aquilo que está na lei, positivado, como está no Art; 5° da Constituição. Todos são iguais perante a lei.

Igualdade Formal: É tratar os iguais com igualdade e os desiguais com desigualdade. A igualdade formal, busca trazer a mesma possibilidade de acesso àqueles que por questões econômicas ou sociais, não conseguiriam.

Eu entrei nesse aspecto, porque temos que lembrar que desde muito tempo o negro é tratado de maneira e desigual no Brasil e no mundo. Os números acima não mentem!

Se você não acredita em tudo o que falei, assista à um vídeo abaixo, criado pelo Governo do Paraná, sobre o racismo institucional:


Vendo o exemplo do vídeo acima, com certeza não é o ideal comemorar um dia exclusivo para determinada raça, ou gênero, mas enquanto existir esse tipo de pensamento, se faz extremamente NECESSÁRIO, a comemoração e a lembrança desse dia.

Quando todos realmente serem tratados sem diferença de raça, gênero, opção sexual ou qualquer outro segmento, com certeza não precisaremos mais dia da Consciência Negra, Dia Internacional da Mulher dentre outros e realmente poderemos comemorar o dia da Consciência Humana.
Compartilhe: