Compartilhe nas redes sociais

sábado, 4 de abril de 2015

"Doença misteriosa" que atacou Camaçari, agora "invade" Simões Filho.

Pintas, dores e coceira pelo corpo. Esses são alguns dos sintomas de uma doença ainda sem diagnóstico que tem atingido moradores do município de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. De acordo com o diretor da Vigilância Epidemiológica de Camaçari, Celso Joélio, até esta terça-feira (24), 39 casos foram registrados oficialmente na cidade.

Joélio afirma que os registros foram feitos em bairros diferentes da cidade e que outros casos também foram encontrados em municípios da região. O diretor conta que testes realizados em pacientes descartaram a possibilidade de se tratar de dengue, febre chikungunya, rubéola ou sarampo. Ele acredita que embora ainda não tenha sido identificada, a doença tem evolução benigna e não resulta em nenhum outro problema à saúde.

A doença chega até Simões Filho

Moradores de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, também estão sofrendo com os mesmo sintomas da “doença misteriosa” que assola e preocupa a população de Camaçari.  De acordo com a Administração do Hospital de Simões Filho, a demanda de pessoas que buscam o atendimento na Unidade apresentando os sinais e sintomas de uma doença ainda não identificada, vêm ocorrendo aproximadamente nos últimos 15 dias. As pessoas doentes apresentam pintas avermelhadas pelo corpo, sentem coceira e dores.

Vários pacientes já foram atendidos no Hospital da cidade e receberam um medicamento para tratar os sintomas e foram liberados em seguida. Outros ainda estão na unidade hospitalar e a todo o momento chegam mais casos. Os números de atendimentos de pessoas com os sintomas crescem a cada dia no município. Secretaria Municipal de Saúde de Simões Filho até o momento, não se manifestou sobre o caso.

Desconfiam- se que a doença seja Roséola ou Parvovírus-B19

Após reunião realizada na quarta-feira (25), entre a Vigilância Epidemiológica e a Secretaria de Saúde de Camaçari, duas hipóteses foram levantadas para explicar a doença misteriosa que tem acometido diversos moradores de Camaçari que já chegou em Simões Filho, cidades localizada na região metropolitana de Salvador: Roséola ou Parvovírus-B19, cujos sintomas combinam com os apresentados pelas pessoas que procuraram as unidades de saúde do município.

Entre os sintoma destacam-se pintas, dores e coceira pelo corpo. De acordo com o diretor da Vigilância Epidemiológica de Camaçari, Celso Joélio, no qual informou que a reunião também definiu uma providência a ser tomada: amostras de sangue coletadas de alguns pacientes serão enviadas para laboratórios do Paraná e Rio de Janeiro.

"Não há na Bahia laboratórios apropriados para fazer o diagnóstico da roséola e do parvovírus-B19, por isso faremos os exames fora do estado", afirma Celso.

O diretor acrescenta que as amostras seriam enviadas na quinta-feira (26) para o Laboratório Central do Estado da Bahia (Lacen), que fará o envio para os estabelecimentos do Paraná e Rio de Janeiro. "Não há previsão de retorno destes exames, mas já temos cinco amostra prontas para ser enviadas ao Lacen", diz.

O diretor conta que testes realizados em pacientes descartaram a possibilidade de se tratar de dengue, febre chikungunya, rubéola ou sarampo. Ele acredita que embora ainda não tenha sido identificada, a doença tem evolução benigna e não resulta em nenhum outro problema à saúde.
"Já adiantamos que não é motivo para pânico. Estamos passando antialérgico e as pessoas estão melhorando. A doença não está oferecendo risco nenhum. Mas é óbvio que a gente precisa saber o que é", explica.

Forma de contágio

Diferente do Secretário de Saúde de Simões Filho (no qual está omisso sobre os acontecimentos da doença), o Secretário de Saúde de Camaçari, Washington Couto, já alertou a população em relação à doença misteriosa. “A prefeitura está tomando todas as providências para identificar a doença” afirma o secretário de Camaçari.


Para ele, embora branda, a doença é contagiosa e pode ser transmitida através do espirro. A recomendação é de que as mães não mandem seus filhos à escola e não esqueçam os cuidados básicos de higiene como lavar as mãos a

Doença suspeita – ‘Eritema infeccioso’ – Dr. Drauzio Varella Explica

Eritema infeccioso é uma doença exantemática infecciosa, benigna, causada pelo parvovírus humano B19, que afeta mais as crianças e os adolescentes. A enfermidade é transmitida pelo contato com as secreções respiratórias da pessoa infectada ou verticalmente da mãe para o feto durante a gravidez, situação que representa risco de aborto e malformações fetais.

Sintomas

 As pessoas doentes apresentam pintas avermelhadas pelo corpo, sentem coceira e dores.

Recomendações

* Não existe vacina contra o eritema infeccioso. Por isso, especialmente mulheres grávidas e pessoas debilitadas devem evitar o contato com os doentes;

* Crianças devem permanecer em casa nos primeiros dias da infecção. Depois, podem voltar ao convívio social, mesmo que as manchas da pele não tenham desaparecido completamente.
Fonte: G1
           Simões Filho On Line
Compartilhe: