Compartilhe nas redes sociais

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Manifestação contra a lei de terceirização une cerca de 6 mil pessoas na capital baiana.

O Manifesto contra o PL 4330, a Lei da Terceirização, juntou 6 mil pessoas segundo organizadores.

Os rodoviários pararam das 04:00 às 08:00, o Sindicato dos Comerciários no centro da cidade, obrigou os comerciantes a fechar e os bancários também paralizaram suas atividades, como diversos outros profissionas.


Pela tarde, estudantes e integrantes de movimentos sociais iniciaram uma passeata, por volta das 16h10, no bairro do Campo Grande, centro de Salvador. O protesto é contra a PL 4330, conhecida como Lei da Terceirização, e faz parte de um movimento nacional. O grupo ocupou duas faixas da Avenida Sete de Setembro, e seguiu em direção à Praça da Piedade.

Participaram da manifestação a Pastoral Rural, Movimento pelo Teto e Terra (MPTT), Movimento dos Trabalhadores Independentes, União Nacional dos Estudantes (UNE), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Federação dos Trabalhadores Públicos Municipais do Estado da Bahia (FETRAMEB), Sindilimp e Levante Popular. O ato termnou às 18h30.

Outras cidades

De acordo com a PRE, a BA-523, que passa pela cidade de Candeias, ficou fechada desde o início da manhã e foi só liberada no começo da tarde.

Diversos trechos da BA-535, conhecida como Via Parafuso, em Camaçari, foram interditados desde o início da manhã. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), os dois sentidos da via estavam bloqueados por volta das 9h50 e foram liberados no início da tarde.  Segundo organizadores, 200 participam da mobilização.

Cerca de 20 pessoas fizeram um protesto na BR-324, na saída de Feira de Santana com sentido à Salvador. O ato, organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), teve início às 5h30 e terminou por volta das 8h.

Já na BA-522, na região do povoado de Jaguara, na cidade de Anguera, o protesto que começou por volta das 5h desta quarta foi encerrado por volta das 9h30.

Os ônibus do município de Ilhéus não circularam nesta manhã por conta do protesto nacional contra a aprovação do projeto de lei de terceirização do emprego, PL 4330. Segundo Josemir Dias, gerente da empresa de coletivos São Miguel, cerca de 130 ônibus das duas empresas ficaram parados até meio-dia.
Compartilhe: