Compartilhe nas redes sociais

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Governo define calendário de pagamento do PIS/Pasep 2016/2017

O Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) definiu o calendário de pagamento do Abono Salarial, ano-base 2015. A estimativa é que 22,3 milhões de trabalhadores tenham direito ao benefício, que começa a ser pago a partir de 28 de julho, seguindo as novas regras definidas pela Medida Provisória 665.

Pelas novas regras, o valor do benefício estará associado ao número de meses trabalhados no exercício anterior. Assim, quem trabalhou um mês no ano-base 2015 receberá 1/12 do salário mínimo, e não 100% como determina a regra vigente até junho de 2016.
Tem direito ao Abono Salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais, com carteira assinada, e exerceu atividade remunerada durante pelo menos 30 dias em 2015. Para sacar o benefício, o trabalhador deve estar cadastrado no Programa de Integração Social (PIS), ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), há pelo menos cinco anos.

Cronograma de pagamento do PIS nas agências da Caixa:
Nascidos em
Recebem a partir de
Recebem até
Julho
28/07/2016
30/06/2017
Agosto
18/08/2016
30/06/2017
Setembro
15/09/2016
30/06/2017
Outubro
14/10/2016
30/06/2017
Novembro
21/11/2016
30/06/2017
Dezembro
15/12/2016
30/06/2017
Janeiro e Fevereiro
19/01/2017
30/06/2017
Março e Abril
16/02/2017
30/06/2017
Maio e Junho
16/03/2017
30/06/2017
Crédito em conta para correntistas da Caixa:
Nascidos em
Crédito em
Julho
26/07/2016
Agosto
16/08/2016
Setembro
13/09/2016
Outubro
11/10/2016
Novembro
17/11/2016
Dezembro
13/12/2016
Janeiro e fevereiro
17/01/2017
Março e abril
14/02/2017
Maio e junho
14/03/2017
Cronograma de pagamento do PASEP nas agências do Banco do Brasil:
Final da inscrição
Recebem a partir de
Recebem até
0
28/07/2016
30/06/2017
1
18/08/2016
30/06/2017
2
15/09/2016
30/06/2017
3
14/10/2016
30/06/2017
4
21/11/2016
30/06/2017
5
19/01/2017
30/06/2017
6 e 7
16/02/2017
30/06/2017
8 e 9
16/03/2017
30/06/2017



Infelizmente o governo interino de Temer, manteve a mesma condição do governo anterior. Não parcelou o PIS em 2x, pois alega que não tem dinheiro para o trabalhador. Mas, para outro lado, dá um absurdo de reajuste para o alto escalão do STF, TCU e MPF, que por mera coincidência, são todos órgãos de fiscalização do seu governo.
Compartilhe: