Compartilhe nas redes sociais

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Coordenação Estadual do Edpopsus realiza roda de conversa na EFTS, que esclareceu o novo formato e como será realizado o curso.


A Coordenação Estadual do Edpopsus Bahia II convidou, na oportunidade dos processos seletivos que ocorrem nacionalmente para o Curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde, bases de apoio no Estado para um diálogo sobre a nova oferta. A roda de conversa aconteceu ontem (19), no auditório da Escola de Formação Técnica em Saúde (EFTS), com a presença de representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Ivando Antunes (ACE), Sindicato de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate as Endemias da Bahia (SINDACS/BA), além de membros do grupo gestor da Escola.

O objetivo do encontro foi discutir os passos da organização do curso no município de Salvador, cronograma de atividades, divisão da carga horária e detalhes sobre os critérios de participação para os trabalhadores com experiência em Educação Popular, que atuarão como facilitadores do curso de aperfeiçoamento, bem como as condições de participação para os educandos no município.

Na abertura do encontro, a Coordenadora Estadual, Lilian Paula Nascimento, ressaltou a importância das pactuações para o fortalecimento da Educação Popular em Saúde. "Os atores aqui envolvidos têm um papel fundamental na realização do curso em Salvador. O fazer do Edpopsus está ancorado numa organização que pressupõe um processo de construção coletiva, de parcerias, mobilização social e articulação dos diferentes atores locais", afirma.


Na Bahia, a segunda oferta do Edpopsus é organizada pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), através da EFTS. O Curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular compõe uma ação do Programa de Qualificação de Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Vigilância em Saúde da Secretaria de Gestão Participativa - SGEP/Ministério da Saúde, em parceria com a Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio/FIOCRUZ, tendo como referencial político-pedagógico a Política Nacional de Educação Popular em Saúde- PNEP-SUS.

Como será o novo formato do EDPOPSUS II?
  • O curso terá duração de 4 meses, com 160h de carga horária.
  • É aberto tanto para quem fez a edição do EDPOPSUS I, quanto quem não fez. Mas quem fez a edição do EDPOPSUS I, terá prioridade, em caso de empate.
  • Será ministrada uma aula por dia da semana, com a carga horária de 8h diária, e serão separadas em duas equipes: turmas com aulas nas terças feiras e outras nas quintas feiras, todas de 08:00 às 17:00, mas poderão sofrer alterações, de acordo com alguns feriados.
  • Serão 136h (17 aulas) presenciais, e mais 24h (4 aulas), de trabalho de campo, mas os ACS e ACE estão dispensados, por trabalharem diretamente com a comunidade.
  • Aos participantes será pago um auxílio de custeio no valor de R$ 20,00 por aula presencial, cujo o montante será no valor de R$ 340,00, depositado de uma única vez, na conta corrente do educando, para suprir parte do custo com alimentação e transporte para participação no curso.
Com a presença da SMS, CCZ, DAB, ficou acordado que os profissionais que participarem do curso terão direito à liberação do dia para poder participar do Curso. Mas que se caso o profissional falte o dia ou turno, esse será dia será descontado da folha de pagamento, porque a coordenação do Curso enviará as frequências dos profissionais para a confecção das frequências e servirá como conferência.

Requisitos de acesso para inscrição no EDPOPSUS:

O curso é destinado, prioritariamente, para Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate de Endemias (de vigilância em saúde, de saúde pública entre outros) que sejam servidores ou empregados, preferencialmente vinculados à administração pública direta; profissionais de saúde integrantes da Estratégia de Saúde da Família/Atenção Básica e integrantes dos movimentos sociais e lideranças comunitárias.

No ato da inscrição o candidato deverá preencher o formulário com seus dados pessoais, profissionais e redigir uma carta de intenção. O processo seletivo será efetuado em 02 (duas) fases, ambas baseadas nas informações fornecidas pelo candidato. Na primeira etapa, a pontuação será atribuída à experiência do candidato, já a segunda fase do processo de seleção consistirá na análise da carta de intenção pelas Bancas de Seleção constituídas em cada um dos Estados participantes.

Serão reservadas 70% de vagas para Agente Comunitário de Saúde e Agente de Endemias e 30% para os demais profissionais da Atenção Básica, Lideranças Comunitárias e integrantes dos movimentos sociais.


Compartilhe: