Compartilhe nas redes sociais

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Vilani Oliveira é reeleita presidente durante VI Congresso da Confetam/CUT

Atual presidente, Vilani Oliveira foi reeleita para a gestão 2017/2020
Eleição e posse da nova direção ocorreu neste fim de semana, em Recife.

A atual presidente da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Confetam/CUT), Vilani Oliveira, foi reeleita para o triênio 2017/2020. A nova direção da entidade foi aclamada e empossada durante o VI Congresso Nacional Ordinário da Confetam/CUT que reuniu, nos dias 29 de 30 de abril, em Recife (PE), 291 delegados de 22 estados e do Distrito Federal.

Realizado no ano do centenário da greve geral de 1917, o VI Congresso da Confetam ocorreu um dia depois da vitoriosa greve geral de 28 de abril - a maior da classe trabalhadora brasileira -, e um dia antes do 1º de maio, entrando para a história como o maior e um dos mais importantes encontros da confederação dos servidores públicos municipais brasileiros.

"Foi um encontro curto, de apenas dois dias, mas um evento extremamente qualificado e denso do ponto de vista dos debates e da compreensão dos desafios que estão postos", avaliou a presidente reeleita, Vilani Oliveira. 

Unidade e representatividade

A presidente destacou que o VI Congresso da Confetam primou pela unidade, contemplando na nova diretoria todas as forças políticas e estados representados no evento. "Todos os estados presentes saíram com representações na direção. Isso pra nós é muito importante, pois significa que alcançamos a unidade e a inclusão de todos na direção", assinala a presidente.

Num momento de ataques aos direitos dos trabalhadores, representados pelas reformas trabalhista e previdenciária, e pela aprovação da Lei das Terceirizações, Vilani elenca como principais desafios da nova gestão fomentar o debate na base e qualificar ainda mais as direções sindicais, das federações e da Confetam.

"Precisamos levar o debate da retirada de direitos para a população e preparar a resistência na perspectiva de barrar o avanço do capital sobre o trabalho" enfatiza a presidente reeleita.

Caravanas à Curitiba contra a criminalização

Ela fez um chamamento aos municipais para que se integrem às caravanas à Curitiba, que estão sendo organizadas em todo o Brasil, para acompanhar o depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz da operação Lava Jato, Sérgio Moro, marcado para a próxima quarta-feira (10).   

"Vamos para Curitiba acompanhar o depoimento do companheiro Lula, que é a maior liderança que este país já produziu. É uma referência para o movimento sindical e para o povo brasileiro. Nós queremos estar presentes para dizer às elites dominantes que não aceitaremos a criminalização do PT, do Lula e dos movimentos sindical e social", avisa.

Bandeiras dos municipais 

Durante a mística de abertura do Congresso, as delegações entraram no auditório do evento, realizado no Centro de Formação e Lazer do Sindicato dos Previdenciários de Pernambuco, erguendo as bandeiras das federações e dos estados, momento em que apresentaram as principais pautas de luta dos municipais.

A mesa de abertura foi prestigiada pelos vice-presidentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Carmem Foro, e da Confederação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs), Romildo Miranda; pelos presidentes da CUT Pernambuco, Carlos Veras, da Confederação dos Trabalhadores Públicos Municipais da ISP Américas (Contram/ISP), Paula Leite, da Federação dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Pernambuco (Fetampe), Isac Romão, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo; e pelas representante da Internacional de Serviços Públicos (ISP), Denise Mota Dau, e do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese), Jacqueline Natal.

Na ocasião, foi exibido documentário resgatando a história da Confetam, que completa 17 anos anos de lutas em 17 de junho de 2017.
Compartilhe: