Compartilhe nas redes sociais

terça-feira, 2 de junho de 2015

Secretário de Saúde visita o agente mordido por um Pit Bull. Vídeo mostra o seu salvamento.

De acordo com informações, o estado de saúde de Edson Carlos de Ataides é bom e estável (Foto: Prefeitura de Goiânia), Edson Carlos foi atacado pelo cão durante visita domiciliar de combate à dengue. Ele está se recuperando de uma cirurgia e passa bem
O secretário municipal de Saúde de Goiânia, Fernando Machado, e a diretora de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim, visitaram na manhã desta quinta-feira (28) o agente de combate a endemias Edson Carlos de Ataides, internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). O agente foi atacado por um cachorro pitbull em uma residência, no setor Faiçalville, na qual fazia vistoria para combater a dengue.
Edson Carlos de Ataides, o Agente Mordido
Edson passou por uma cirurgia no mesmo dia em que sofreu o ataque, na terça-feira (26), e ainda está em recuperação. Segundo Flúvia Amorim, o que foi passado pelo Hospital é que o estado de saúde dele é bom e estável.

Para o secretário, depois de um acidente grave como este, o município tem a obrigação de rever as leis que regem a criação de animais agressivos em domicílios, já que muitos deles podem mutilar ou até matar pessoas. “Então, nós vamos fazer uma proposta ao prefeito para que ele envie projeto à Câmara que estabeleça um controle mais rígido sobre esse tipo de situação para que casos como este não voltem a ocorrer”, revelou.

Flúvia Amorim afirmou que a Secretaria não tinha, até então, nenhum registro de acidente com essa gravidade. Segundo ela, os agentes passam por um treinamento antes de ir a campo, no qual são orientados a, no primeiro contato com o morador, perguntar se tem algum animal na casa e pedir para deixá-lo preso. Neste episódio, a dona da casa não informou que haviam animais soltos na casa. “Nós reforçamos à população que tenham muito cuidado e responsabilidade com animais nos seus domicílios no ato da visita dos agentes de saúde. Todo cuidado é pouco, mesmo que o cachorro não tenha histórico de agressão”, ressaltou.
Fonte: MNAS

Susto grande', diz mulher do agente de saúde

Hélika esposa do Agente mordido
O nervosismo tomou conta da dona de casa Hélika Fonseca Costa de Ataídes, de 38 anos, quando ela recebeu uma ligação na tarde de terça-feira (26)  informando que seu marido, o agente de saúde Edson Carlos de Ataídes, de 44, tinha sido mordido por um cahorro da raça pit bull. O ataque ocorreu logo após ele fazer o trabalho de prevenção contra a dengue em uma casa do Setor Faiçalville, em Goiânia.
"Amigos do serviço dele me ligaram avisando e eu vim correndo para o hospital. Foi um susto grande, meu coração ficou a mil", diz Hélika ao G1.
Edson está internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde passou por cirurgia. Segundo a unidade, seu estado de saúde é regular.
De acordo com a dona de casa, além de ferimentos no pescoço, o marido foi atingido no ombro, braços, em uma das pernas e em uma das mãos, onde ocorreu a a principal lesão. "Existe a possibilidade de ele ficar com sequelas, mas vamos esperar que ele se recupere", afirma.
Hélika revelou que Edson atua como agente de saúde há 13 anos e que várias vezes já reclamou que cães avançaram contra ele durante as vistorias. Porém, ele nunca havia sido atacado de uma forma tão violenta. Um vídeo feito por vizinhos da residência mostra o atendimento dele pelos bombeiros (veja abaixo).

'Anjo'


A mulher da vítima diz que um vizinho da casa onde ocorreu o ataque ajudou o esposo. "Um homem viu a situação e pegou um pedaço de pau para ajudar. Só depois de lutar com o cão e dar algumas pauladas nele é que o animal largou meu marido. Esse homem é um anjo", elogia.
Hélika acredita que, se não fosse a atitude do vizinho, seu esposo poderia não estar vivo. "Assim que ele deixar o hospital, vamos conhecer esse rapaz e agradecê-lo por tudo que ele fez", conta.
O homem a quem Hélika se refere é o motorista Fábio Justino dos Santos. Ele conta que precisou bater no cachorro para evitar que Edson tivesse lesões mais graves.
"Fui dando paulada nele e ele [cachorro] não soltava. A gente o puxou e andamos uns três metros, mas o cachorro voltou a si e mordeu o pé do senhor de novo. Foi onde eu dei umas quatro pauladas na cabeça dele e ele desmaiou mesmo. A gente puxou o cachorro e o levou para dentro. Depois, já vim para estancar o sangue do senhor”, disse.

Mordida

O caso foi registrado no 20º Distrito Policial de Goiânia, no Setor Sudoeste. Segundo o delegado plantonista Bruno Henrique Soares, o agente foi ferido já na calçada da residência, quando estava indo embora.
"Ele chegou e fez todo o trabalho de prevenção. Enquanto isso, a namorada do dono do cachorro ficou segurando o animal. Na saída, o bicho acabou escapando e foi para cima da vítima. Ele tentou escapar, mas a bolsa dele ficou presa no portão",
Fonte: G1
Compartilhe: